Escola da Síntese - Curtindo o Coração

Escolinha redimensionado

 

 

 

 

Dentre os objetivos propostos pela Universidade do Coração, está o Núcleo para Educação Infantil que atende pelo nome de Escola da Síntese – Experimento Educacional Pedagógico Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver.

frente

A “Escolinha”, como é carinhosamente conhecida, iniciou as suas atividades em agosto de 2011, com a missão de oferecer uma educação orientada para o desenvolvimento integral do ser humano, considerando as suas dimensões física, mental e espiritual. Oferece, atualmente, a Educação Infantil para crianças entre 1 e 6 anos de idade, ofertando três salas que correspondem ao maternal, jardim e alfabetização.

Norteada pelos princípios do Sudha Dharma, a Escola da Síntese se firma na conquista de um aprendizado que ajude a criança a compreender o mundo em que vive, levando-a a desenvolver habilidades que a tornem apta a atuar física, emocional e espiritualmente no mundo, convivendo em harmonia com seus semelhantes; ajudando-a a entender e assimilar as diferenças, para que possa construir um mundo mais acolhedor e inclusivo.

Além disso, a Escola da Síntese busca motivar as crianças a tornarem-se autônomas no pensar e agir, desenvolvendo seu senso crítico e levando-as a decidir por si mesmas quais atitudes devem tomar, nas mais diversas situações que se apresentem na vida.

O objetivo maior da Escola da Síntese é ensinar a viver, levando o educando a aceitar plenamente a presença do Sagrado que está dentro de todos os seres, pois é este encontro com a Divina Presença Interna que levará à felicidade e à realização.

A Escola toda trabalha ajustada ao ritmo das crianças que é de expansão e contração. Na expansão elas brincam e socializam, vivendo o mundo e suas relações; já na contração, são oferecidas atividades de concentração e foco que as ajudam a compreender e entender o mundo no qual estão inseridas. Tudo é ritmado. As atividades se repetem diariamente, mas cada repetição tem vivência e abordagem diferentes.

Para que se compreenda melhor como todo este aprendizado se dá, vamos reproduzir abaixo o funcionamento geral da “escolinha” em um dia normal de atividades:

A Escola da Síntese, que está localizada na Rua do Lagarto, 529 no centro de Aracaju, inicia suas atividades diariamente as 7h40, recebendo os alunos a partir das 6h30. Neste meio tempo, os alunos brincam livremente aguardando a chegada de todos.

Pontualmente as 7h40, as crianças ouvem uma canção indicativa de que as atividades do dia vão se iniciar. Assim, cada criança se dirige para sua turma, sozinha, ou com a professora.

A primeira atividade do dia se chama Conexão com o Coração: é o momento em que elas cantam mantras, fazem orações, trazem experiências da noite, do trajeto até a escola, ou de outras jornadas. É o espaço no qual estabelecem contato com o Sagrado, e também manifestam tudo aquilo que elas queiram analisar. Muitos sentimentos e emoções aparecem neste momento. Em seguida, tomam a “aguinha de Luz” (elas colocam um copo com água em frente ao coração e entoam um mantra consagrando aquela água). Todo este processo tem o significado intrínseco de purificar, curar, de trazer bem-estar para elas. É neste momento também que se traz, de forma lúdica, alguns princípios do Sudha Dharma, respeitando o nível de desenvolvimento das crianças.

ESCOLAdaSINTESE 3

Após esse momento todos se dirigem para a Roda Rítmica, que é uma ciranda onde a socialização e também questões corporais (o movimento do corpo), são trabalhados. Acreditamos e compreendemos que todas as vivências de uma criança, começam com seu corpo físico. O movimento que é estabelecido vai ajudar no desenvolvimento de seu corpo mental, emocional e espiritual. O corpo físico é trabalhado e movimentado nesta ciranda.

Após a ciranda elas se dirigem à mesa coletiva e inicia-se a Tarefa do Dia. Cada dia uma tarefa de arte diferente é proposta: massa de modelar, giz de cera, pintura de dedo. Para a turma do jardim, também aquarela. Às quintas-feiras, brinquedos educativos também são ofertados buscando desenvolver o raciocínio lógico e quantitativo. Às sextas-feiras a atividade é feita em grupo: arte coletiva com sucata, material reciclado para construção de brinquedos, ou se coloca um papelão ou cartolina no chão e elas pintam juntas, criando um desenho apenas.

ESCOLAdaSINTESE 1

Depois se segue a atividade do Brincar Livre. As crianças não são conduzidas nesta atividade, apenas intervenções, quando necessárias, serão realizadas pelo professor quando elas não conseguem resolver a pendência entre si. Somente assim a professora se aproxima. Ficam nesta atividade até as 9 horas.

Após, todos descem de suas salas (maternal, jardim e turma das letrinhas) e oferece-se então o Lanche. Antes da ingestão todo alimento é consagrado com uma oração. Após o lanche eles brincam livremente. Há dias de brincar dirigido, onde se é oferecida uma atividade ou dinâmica.

Brincar Livremente: esta é a atividade mais importante da criança. É onde ela pode se expressar, se conhecer e conhecer o outro aprendendo a respeitar seus limites e os limites do outro também.

Às 11 horas acontece o momento da higienização corporal. Logo em seguida, em suas turmas, elas participam do momento da Estorinha do Dia. E assim se encerra o período matutino. Em seguida é servido o almoço.

Antes do Almoço, é feita a prática da oração e consagração do alimento. Logo após segue-se o descanso até as 3 horas da tarde. Após o descanso os alunos do horário estendido vão para suas casas e, os do período integral, recebem um lanche e vão para uma atividade de arte ou brincar livre.

ESCOLAdaSINTESE 2

Durante todo o dia prima-se por estimular o comprometimento com a organização, a limpeza dos objetos pessoais e coletivos como também dos espaços utilizados, respeitando a capacidade de cada criança, fazendo-as evoluir nesse aspecto e levarem para casa um novo funcionamento. Um exemplo disso é que elas, ao chegarem à escola, já tomam a iniciativa de tirar suas sandálias e guardá-las no local adequado.

É desta forma que a Escola da Síntese – Experimento Educacional Pedagógico Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver, trabalha para implantar no mundo o conhecimento e a certeza de que somente o “Servivente” é capaz de sintetizar seus conhecimentos em atitudes harmonizadas com o Divino dentro de seus corações, transformando o mundo em que vive, em um lugar de verdadeira paz, companheirismo e amor.

Atividades lúdicas no Curtindo o Coração


NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO  INFANTIL CURTINDO O CORAÇÃO, APRENDENDO A VIVER

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

Apresentação

Este texto trata-se de um esboço inicial do Projeto Político Pedagógico do Núcleo de Desenvolvimento Infantil Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver. O objetivo é apresentar o perfil, perspectivas, organização e funcionamento do Núcleo.

Uma vez que “político”, este projeto expõe claramente uma decisão acerca de “que sujeitos se pretende formar” com a educação empreendida. Portanto, não temos a intenção de nos apresentarmos neutros diante dos desafios do mundo atual. Diante da complexidade que nos atinge enquanto humanos, assumimos o reconhecimento da integralidade que envolve corpo, mente e espírito implicando nossa existência no mundo e nos propomos a uma educação atenta a essa complexidade.

Ademais, entendemos que a dinâmica sócio-cultural do contexto contemporâneo, forjada pelo aguçamento do processo de globalização e avanço tecnológico, tem impelido a formação de pessoas cada vez mais envolvidas com um referencial global e intelectualizado. Isso, fomentado por meios de comunicação e mesmo por escolas de educação formal, tem ressonâncias que podemos considerar negativas, como a padronização do comportamento, das escolhas, da expressividade, o afastamento dos referenciais culturais locais e subjetivos que constituem as identidades pessoais e de grupo, o amortecimento de princípios que norteiam a convivência saudável (a solidariedade, a compaixão, o respeito e a responsabilidade), dentre outros. Em meio a tudo isso, assistimos ainda a banalização da sensibilidade humana, dimensão que alinhada ao discernimento espiritual atua na consolidação da capacidade de conviver bem e sentir-se bem e que tem como base, o amor.

Ao compreender que uma educação que tem como prioridade a formação do ser para o desenvolvimento de suas potencialidades no campo físico, mental e espiritual, o Núcleo de Desenvolvimento Infantil Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver iniciou suas atividades em agosto de 2011, como uma instituição experimental, que tem ousado na tarefa de educar o ser humano integral. O Núcleo está vinculado à Grande Síntese – Instituto Cultural para o Florescimento do Homem e traz atrelada às suas práticas, o princípio fundamental dessa instituição religiosa, a formação para o desenvolvimento da consciência humana, reconhecendo a integralidade do ser e complexidade que envolve o estar no mundo.

 

Os sujeitos da educação

 - Dos níveis de ensino ofertados

O Núcleo de Desenvolvimento Infantil Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver atende, atualmente, crianças em idade entre 2 e 6 anos, ofertando a Educação Infantil.

 - Nossa compreensão sobre a Infância

Ao reconhecer a integralidade do ser em corpo, mente e espírito, dialogamos com a ideia de que cada ser tem sua maneira própria de compreender a si e aos outras, manifesta-se e interage de maneira particular com cada situação ou pessoa encontrada. Dessa maneira, compreendemos a criança em sua alteridade, sem arbitrariamente antecipar formas de ser, pensar e agir que sejam convenientes para cada uma delas. O que nos propomos é a interagir com a heterogeneidade de formas em que as crianças se apresentam e construir junto com cada uma delas, um processo educativo que a impulsione a respeitar seus próprios sentimentos, pensar criticamente e agir conscientemente levando em consideração que vivemos numa coletividade composta por diferenças.

Nosso compromisso é acolher as diferentes formas de sentirem, pensarem e expressarem a si próprias, valorizando as potencialidades de cada criança e articulando tanto quanto necessário, ações didáticas que pautem uma vida consciente e feliz, responsavelmente integrada ao contexto social mais amplo.

Nesse sentido, ao olhar para cada criança, identificaremos em cada olhar o anseio de acolhimento, respeito e valorização: “deves abrir, para mim, um espaço no mundo, de forma que eu possa encontrar um lugar e elevar a minha voz!” (LARROSA, 2006, p. 192).

Além disso, acreditamos que o brincar é a principal atividade de uma criança e isso se deve a um fato muito importante: brincando ela aprende a conhecer o mundo, a conviver com as outras pessoas, a desenvolver habilidades e fazer coisas, a expressar os potenciais do seu Ser. Por isso, a valorização do brincar livre e a interação com as crianças através de práticas e vivências lúdicas são encaradas como forma de diálogo, didática no ensino e valorização da Cultura do Brincar Saudável.

 - Nossas/os educadoras/es

Em virtude da compreensão que temos sobre a infância, nosso núcleo  é orientado pela ação de pessoas que têm se debruçado sobre a educação, no plano teórico e prático, abrangendo especializações na área da pedagogia, psicologia, sociologia da infância, educação, cultura e espiritualidade.

Duas educadoras acompanham os encontros com as crianças cotidianamente e dão suporte às oficinas pedagógicas orientadas por facilitadores colaboradores. As ações didáticas visam empreender uma relação pedagógica humana, em que o conhecimento se desenvolva a partir da interação, dos questionamentos, anseios e dúvidas que emergem entre as crianças, de modo que a/o educador/a não seja a figura central, ou fonte do conhecimento. Mas, alguém que identifica as necessidades de aprendizagem e articula caminhos, ações, vivências e experiências que viabilizem o desenvolvimento infantil.

 

Princípios Educativos

 Em virtude da perspectiva assumida pelo núcleo quanto a sua compreensão acerca do ser humano, da criança e da educação, as ações didáticas empreendidas são subsidiadas nos seguintes princípios:

- Respeito aos diferentes ritmos de expressão e aprendizagem;

- respeito e diálogo com a diferença;

- disciplina;

- organização individual e coletiva;

- estimulo à cooperação e solidariedade;

- conhecimento e desenvolvimento das potencialidades mentais/intelectuais, físicas/corporais e espirituais de todos os seres;

- integração com a natureza;

- integração com a sociedade;

- estímulo à criatividade e à construção de formas próprias de interpretação e expressão;

- ludicidade;

- integração com a cultura local e familiar.

 

Organização didático-pedagógica do ensino

 - Do que e como se ensina

A criança aprende principalmente por meio da imitação e questionamento de tudo que está ao seu redor. As palavras mágicas para educação infantil são imitação, argumentação e exemplo.

O Núcleo, nesta fase, tenta aproximar-se do contexto do lar e da própria sociedade, trazendo para a sala de aula o ambiente aconchegante da casa, com as suas atividades cotidianas, as celebrações da vida cultural local, o ciclo da natureza e a variação de idades e identidades que ocorre dentro de uma família e da própria sociedade de modo mais amplo.

O papel do educador consiste em levar as crianças a aprenderem fazendo a coisas, através da experiência. As crianças arrumam a sala, regam as plantas, ajudam a preparar o lanche, lavam panos e roupas dos bonecos e bonecas que se alternam com outras atividades como pintura, modelagem, desenho, ouvir contos de fadas, brincar... A organização é construída pelo exemplo e a aprendizagem pela vivência.

Em meio a essas atividades aprendem conceitos e procedimentos pertinentes ao seu universo de interesses e possibilidades. Desse modo, no decorrer das atividades são desenvolvidas as noções de cores, misturas, numeração e ordenação numérica, gosto pela história, organização do pensamento na contação de histórias e contos, expressão corporal, habilidades motoras, cuidados com o próprio corpo e a saúde, relação sustentável com a natureza, conhecimento de brincadeiras e manifestações populares nordestinas e mundiais, celebrações cristãs, postura participativa diante da coletividade, dentre outras.

O intelecto e a memória, forças necessárias ao processo de aprendizagem são solicitados de maneira integrada a outras dimensões, corporal e espiritual. Essas solicitações consistem em estímulos ao desenvolvimento infantil e se aguçam de acordo com o amadurecimento psicofísico.

As avaliações se darão de modo processual, através da observação, acompanhamento e registro da participação e desenvolvimento das crianças no decorrer das vivências e atividades. Ao final de cada semestre letivo, cada família receberá o relatório de desenvolvimento de aprendizagem, construído pelas professoras e contendo informações sobre os avanços de seus filhos em todos os aspectos priorizados pelo núcleo.

O ritmo é muito saudável para criança, pois estimula a segurança. Há atividades semanais, como o dia da aquarela, do desenho livre, da jardinagem, da faxina e da atividade corporal e atividades diárias, como a culinária, a higiene, a brincadeira, a organização dos brinquedos, os contos de fadas. Nas atividades diárias há o momento do brincar dentro e fora da sala, momento da roda rítmica, onde são vivenciadas as festas e estações do ano e rodas de conversa em que se discute o tema em desenvolvimento.

As festas do ano ajudam a criança entrar no ritmo do ano e ampliar sua percepção do contexto cultural no qual está inserida. Através de músicas, danças, teatros, histórias e alimentos, as tradições são lembradas e a criança vivencia o sentido cósmico das festas: Carnaval, Páscoa, Pentecostes, Corpus Cristhi, Santo Antônio, São João, São Pedro, São Miguel, dia das crianças, Nossa Senhora Aparecida, Advento, São Nicolau e Natal.

O conto de fadas refere-se às grandes verdades espirituais da evolução humana, trazem a reflexão sobre os valores humanos universais que pautam a saudável relação consigo próprio e com os outros: verdade, ação correta, amor, paz e não violência.

 - Da relação família-núcleo

Com o objetivo de ampliar a concepção de educação desempenhada pelo núcleo, propomos uma aproximação entre as duas instituições que têm propriedade e reconhecimento social e legal para lidar com a educação de crianças, o núlceo e a família.

Nesse sentido, pretendemos efetivar um envolvimento das famílias na organização administrativa e pedagógica do núcleo através do Conselho de Famílias e Educadores. A proposta é viabilizar que núcleo e família estejam afinadas quanto a seus propósitos educativos para as crianças e que a experiência de coordenar coletiva e solidariamente seja um exemplo, ao mesmo tempo também educativo para todos os envolvidos, de relação responsável entre pais, filhos e núcleo.

Para tanto planejamos encontros quinzenais que ocorrerão conforme dias e horários previamente combinados. Os encontros terão como propósito refletir temas relativos à infância e os desafios de educar na contemporaneidade, discutir aspectos relativos ao desenvolvimento da turma e propostas educativas, realizar vivências de sensibilização e formação para o desenvolvimento humano e de relações interpessoais, além de discutir e encaminhar questões de âmbito administrativo, como planejamento financeiro da escola, aquisição de material de uso coletivo, realização de eventos, prestação de contas etc.

O Conselho de Família e Educadores, consiste, assim uma proposta de gestão coletiva e participativa do núcleo, que não tem fins lucrativos. Tal conselho não se trata de atividade remunerada, mas sim uma possibilidade de maior participação na educação dos filhos e nos encaminhamentos de sua educação.

 

Organização funcional do Núcleo

O Núcleo de Desenvolvimento Infantil Curtindo o Coração, Aprendendo a Viver atende às crianças somente no período da manhã. O horário indicado para que elas cheguem ao núcleo as 07h 30, quando encontrarão seus coleguinhas e poderão conversar e brincar um pouco antes de iniciarem as atividade, pontualmente às 08hs. As atividades diárias se encerram às 11h30.

No período da tarde a escola tem funcionamento interno semanal, compreendendo os encontros de planejamento e preparação entre as educadoras e os encontros das famílias, que são quinzenais.

Este núcleo é peculiar quanto à sua organização administrativa, uma vez que não tem a figura do diretor, ou coordenador. A proposta é que o Conselho da Família e Educadores seja o responsável por discutir e encaminhar os aspectos relativos à organização administrativa e pedagógica do núcleo. As finalidades pedagógicas que caracterizam o perfil do núcleo e as ações didáticas a serem desenvolvidas junto às crianças são prioritariamente responsabilidade das educadoras e facilitadores envolvidos com esta questão, a serem apresentadas e discutidas coletivamente junto ao Conselho.

Desse modo, nosso núcleo de desenvolvimento infantil efetiva o esforço em consolidar-se como instituição educativa em que as famílias atuam diretamente na formação de seus filhos e filhas.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Mantras

Agenda

LOGO GS TRANSPARENTE

Atendimento:
Aracaju: 2a, 8h as 12h.
Balsa: Domingo, 7h30 as 13h.

Tai Chi: 2a  3a e 4a, 5h30.

Cura Prânica: 3a e 4a, 19h.

Cura Crianças: 2a, 18h.

Distribuição:

- Arroz: 2a , 19h

- Sopa.: 4a, 19h

Pintura Artística: 3a, 14h-17h.

Reuniões:
Pública: 2a, 19h30.

Prática da Saúde: 3a, 17h30.

Estudo: 5a, 18h00.


Núcleo Aracaju:
Edifício Milagres e
Reciclaria Novo de Novo
Rua Lagarto, 58 - Aracaju/SE.
CEP: 49010-390
Fone: (79) 3021 4015

 

Vídeos