Quem é NARAYANA

Quinta, 17 Outubro 2013 |

QUEM É NARAYANA?
QUEM SÃO OS AVATARES?

Na Ciência religiosa da SUDDHA DHARMA MANDALAM ensina-se sobre a existência de um Excelso Ser denominado SRI BHAGAVAN NARAYANA que, conjuntamente com uma plêiade de grandes mestres, Siddhas e yogues que vivem em diferentes planos de matéria, dirige a evolução total de todos os seres existentes nos vários reinos da natureza. Este Excelso Ser é quem envia ao plano deste mundo terrestre os Avatares, tais como foram: Rama, Krishna, Buda, Jesus e outros.

Para clareza deste estudo temos que especificar três aplicações distintas da palavra Narayana a qual, por sua vez, tem diferentes significados, de acordo com o sentido a que for dirigida. A palavra Narayana pode significar o Governador ou Consciência  Diretora do Universo. Também pode indicar o Hierarca  Diretor da Evolução dos seres habitantes do planeta. Igualmente, pode expressar a consciência diretora de um indivíduo. Resumindo, estas são as três acepções principais da palavra Narayana:

  1. O Narayana Cósmico ou Consciência Universal;
  2. O Narayana Diretor de um planeta habitado;
  3. O Narayana ou a Consciência Pessoal diretora de um indivíduo.

 

Também é necessário, antes de continuarmos este estudo, explicar o significado da importante e fundamental palavra PARABRAH-MAM a qual, em síntese, traduz-se assim:

PARA  -  Supremo - Transcendente – Infinito
              Sem princípio nem fim

BRAH -  Brilho - Consciência - Sabedoria

MAM   -  Poder - Energia - Vontade

Resumindo o significado destas três palavras dizemos: A Substância Pura, Raiz do Onipotente Poder do Universo que mantém eternamente a ordem mecânica e consciente de todos os mundos e seres.

Dessa Substância Pura, plena de todos os Poderes, surgem em abundância as sementes de toda manifestação consciente mundial. Essas sementes ou arquétipos nunca tiveram princípios nem jamais terão fim. Elas surgem em incomensuráveis períodos, um após outro. Esta abundância de Paramanus ou átomos sementes lançadas até os diferentes estados da matéria, evoluem desde a inconsciência à consciência, percorrendo toda a infinita escala dos pares de opostos: Luz-sombra, doce-amargo, amor-ódio, sofrimento-felicidade, ignorância-sabedoria, etc.

A BÍBILIA cristã diz: "Todos os seres existiam antes da criação do mundo no seio de Abraham". Desde o Espaço Infinito têm surgido e continuam surgindo em períodos cósmicos todos os seres. Neste mundo terrestre os seres nascem, geração após geração, se conservam um curto tempo e morrem. Naturalmente que nesta trajetória da existência física, a consciência se desenvolve através da passagem por inumeráveis elementos até chegar a ocupar, uma após outra, diversas formas humanas para continuar, assim, adquirindo o conhecimento da VIDA mediante as leis da ação e reação de todos os atos, através de muitas reencarnações. O espírito individual de um ser começa na evolução humana com uma consciência rudimentar a qual, vida após vida, vai adquirindo "o conhecimento da árvore da ciência do bem e do mal”. É assim que uma criança recém nascida não tem consciência, porque ela se desenvolve passando os dias e as noites, meses e anos, até chegar a um grau de maior consciência na idade adulta. Estendendo este caso individual de uma criança, em sentido muito mais amplo, direi que há seres que estão evoluindo há milhões de épocas anteriores à atual em que nós estamos vivendo e agora são pura luz, possuidores de Divinos Poderes. Eles, segundo o grau de perfeição e poder que tenham alcançado, formam as Hierarquias Angélicas dos infinitos mundos que circulam no espaço sem limite. É assim que os Anjos, os Arcanjos ou mais elevados Seres, através de eras e ciclos evolutivos, chegam a ocupar esses sublimes Graus Divinos. ELES são plenos de GRAÇA e MÉRITOS. Se os Anjos e os outros seres Espirituais houvessem sido criados espontaneamente, sem mérito algum, isto é, como Deuses, seria uma grande injustiça da SUPREMA e DIVINA  CONSCIÊNCIA, a qual por outra parte nos obriga a nós outros, nascidos ignorantes e de escassos poderes, a sermos perfeitos. Nós, como os Deuses, seguiremos as leis da evolução eterna como ELES já o fizeram e continuam a fazer, percorrendo o caminho do progresso sem fim.

O avanço da consciência é eterno, segundo a sabedoria dos GRANDES HIERARCAS da SUDDHA DHARMA MANDALAM. Um ser, ao chegar ao estado de Anjo, ajuda desde os planos celestiais até o gênero humano, inspirando-o  para o seu aperfeiçoamento na terra e depois continua sua assistência quando o homem permanece nos planos sutis, entre uma encarnação e outra. Ademais, certa categoria, considerando o Karma, conduz os espíritos a uma nova encarnação, colocando-os no país, família e momento propício para que obtenham em sua nova existência maior avanço espiritual. Segundo esta doutrina, jamais ninguém permanece eternamente estancado em um inferno inútil ou em um céu estático. O progresso é eterno. A Sabedoria Cósmica é perfeita. Nada se lhe perde, nem jamais se equivoca. No livro “LUZ NO CAMINHO”, de Mabel Collins, se lê a seguinte frase: “Entrarás na luz, porém jamais alcançará a chama”. É o mesmo que aparece no livro de Jacó, naquele símbolo da escada que se eleva desde a Terra até o Céu e pela qual sobem e sobem os Anjos. Quando um planeta alcançou um altíssimo grau na evolução angélica o ESPÍRITO mais experimentado, poderoso, sábio e glorioso pode passar a ser um NARAYANA, ou seja, um creador e diretor de um novo mundo. Ele, então, escolhe os seus ajudantes, estabelecendo com Eles as leis físicas e espirituais para o progresso das recentes sementes de vida que terão que evoluir seguindo a rota sem fim do desenvolvimento infinito da Sabedoria na Vida Cósmica. No livro SANÁTANA DHARMA DIPIKA, versículo 248, página 168, se lê o seguinte:

“Há milhões de Narayanas, pois os governantes dos mundos são considerados como Narayanas”

O progresso dos seres dos mundos é realizado através de incontáveis milhões de anos. Nos mundos, surgem e desaparecem continentes, donde nascem e morrem gerações de existências evolucionantes as quais, devido ao insipiente estado de suas consciências, geralmente quebram ou truncam as leis de ordem material e espiritual. Quando isto sucede no plano inferior terrestre e não há nada que possa com poder e sabedoria corrigir e guiar a Humanidade a um maior e feliz progresso, BHAGAVAN NARAYANA, o Supremo Chefe da Hierarquia Espiritual, Ordenador do Céu e da Terra, chama à sua Excelsa Presença os Siddhas ou Arcanjos que queiram sacrificar-se descendo desde o luminoso plano de Glória no qual estão, até o obscuro e denso plano inferior, para comunicar aos humanos a sabedoria Das Leis Eternas da Vida Universal conducentes à felicidade da libertação do nível terrestre para continuar a ascensão através dos cinco planos sutis que formam o mundo.

Estes Siddhas que se apresentam para descida são chamados os SENHORES DA COMPAIXÃO e é este ato de renúncia ao estado glorioso que ocupam, o que atua como um feliz sacrifício que promove Neles a maior glória, inteligência e poder, depois de haver cumprido sua missão. É assim que todo ato, seja ele material ou espiritual, executado com maestria impulsiona o ser a um grau hierárquico superior que lhe corresponde por seus próprios méritos. De outra maneira: ser Anjo, Avatar ou um Narayana, sem mérito, não teria valor.

Aceito por BHAGAVAN NARAYANA o Siddha que vai descer ao mundo denso, a DIVINA HIERARQUIA proporciona as condições sutis e densas que servirão para o maior êxito da Missão que vai cumprir o Enviado Angélico ao qual, na Índia se da o título de AVATAR, ou seja, o que Desce. Entre as ajudas proporcionadas por NARAYANA aos AVATARES se enumeram as seguintes: o próprio SENHOR NARAYANA conecta uma parte do seu SER com a alma do Escolhido e segundo a proporção e forma da união gloriosa, o AVATAR toma diferentes denominações: pode ser um Krishna-VATAR, quando o SENHOR NARAYANA lhe transmite a metade de seu Poder, ou um Hamsa-VATAR, um Siddha-VATAR, um Avesha-VATAR, ou várias classes mais.

O Instrutor Externo da SUDDHA DHARMA MANDALAM e Diretor da revista: “THE SUDDHA DHARMA” que se publica em Madras (Índia), Sri Yanárdana, escreveu algo a respeito. Antes, porém, me parece conveniente repetir aqui as palavras do próprio NARAYANA que se dá a conhecer por Si Mesmo o versículo 70 do capítulo I sobre os Dasas e que se diz assim:

“Eu sou Rishi nascido de um Hansa de Brahmam e radiante com sua luz. Desci de Vishnu a Badari Vana para o bem do mundo”.

Vejamos agora o que diz Sri Yanárdana a respeito deste Supremo Hierarca Divino:

“Voltando novamente ao texto de Chandogya, pouco mais ou menos no final, Skanda também expressa ao Iniciador e assinala o advento do Grande Ser, Há milhões e milhões de anos atrás, vindo do Planeta Vênus (Sukra), para realizar nesta terra o cargo da evolução de vários reinos; desde o elemental até o humano. Ele tem que continuar com esta imensa responsabilidade até que passe completamente a vida evolucionária, ao globo seguinte de nossa cadeia. Foi a sua vinda, como se acaba de indicar, que Ele chegou a ser o Senhor do Mundo e único representante do ISWARA de nosso sistema solar, cujo nome por excelência é NARAYANA”.

“A razão pela qual os Livros Sagrados chamam ao representante com o mesmo nome é que Ele governa e protege o mundo a seu cargo, com o poder e uma capacidade assim como o faz ISWARA com seu universo. Em uma palavra, Ele é o DIRETOR da HIERARQUIA e é Ele que exerce o mais elevado poder em tudo que concerne ao Globo Terrestre. Por exemplo, obedecendo ao seu comando é que velhos continentes submergem no mar e novos surgem dele. A ascensão e a queda de nações e civilizações são igualmente controladas por Ele”.
“Não há nada que afete ao bem-estar do nosso mundo que não esteja na consciência do SENHOR,. cuja aura de grande poder que sempre lhe envolve, irradia fulgor em qualquer lugar para cumprir seus próprios propósitos. Pode transcorrer muito tempo antes que o aspirante principiante seja capaz de encontrar-se frente a frente com AQUELA GRANDE PRESENÇA,cuja luz é de imensa radiância. Esse tempo chegará para aqueles que ponham seu coração em obter tal perfeição e que incessantemente se empenham nisto, por meio da execução de atos completamente inegoístas na causa do avanço da Humanidade.

Para dar maior ênfase a este dever do serviço completamente inegoísta, os Membros da Organização, em seu primeiro grau recebem o nome de Dasas e se lhes ordena uma prática de vida diária para obter efeitos úteis”.

As frases reveladoras da vontade do NARAYANA Planetário, no sentido destruidor e espantoso indicado mais adiante, confirmarão as paginas do Gênesis nos capítulos e versículos que transcreverei a seguir. Antes, farei algumas reflexões necessárias neste escrito: O DEUS PLANETÁRIO, chamado também  na Bíblia de JEHOVÁ, o qual nesse livro é considerado antropomórfico, sem a qualidade divina de onisciência, e com índole pior que os humanos. É este ser quem promove a destruição da Terra com quase todo ser vivente, mediante um dilúvio universal do qual unicamente se salvam uns poucos conduzidos por Noé na Arca, mandada construir pelo mesmo JEHOVÁ.

Vejamos alguns versículos Bíblicos:

GÊNESIS: Capítulo VI

Versículo 5

“E vendo DEUS que era muita a malícia dos homens sobre a Terra, e que todos os pensamentos do coração eram inclinados ao mal em todo tempo...”.

Versículo 6:

“Arrependeu-se de haver criado o homem na Terra, e tocado de intima dor de coração disse”.

Versículo 7:

“Eu destruirei a face da Terra o homem, que creei, desde o homem até aos animais, desde os répteis até as aves do céu: porque me arrependo de os ter feito”.

Versículo 17:

“Eu porém derramarei as águas do dilúvio sobre a Terra, para fazer morrer toda a carne em que há espírito de vida debaixo do céu; tudo o que há na terra será consumido”.

CAPÍTULO VII

Versículo 12:

“E caiu a chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites”.

Versículo 21:

“Toda a carne que se move sobre a Terra será consumida: todas as aves, todos os animais, todas as bestas e tudo o que anda de rastros sobre a terra; todos os homens”.

Versículo 22:

“E tudo o que tem vida e respira sobre a Terra morrerá”.

Versículo 23:

“Todas as criaturas, que haviam sobre a Terra, desde o homem até as bestas, tanto os répteis, como as aves do céu, tudo pereceu sobre a Terra. Ficaram somente Noé e os que estavam com ele na Arca”.

O Jehová ou o Deus Bíblico se equivoca no céu, mandando a Luz-Bel como seu principal secretário,  o qual depois se rebela e arrasta uma grande quantidade de anjos em uma formidável insurreição. Posteriormente volta a se equivocar   no  paraíso  terrestre  onde,   ignorando  se  Adão  e  Eva  são  ou   não obedientes e submissos a seus mandatos, lhes submete à prova da arvore do fruto do bem e do mal.

As falsas representações do Deus da Terra interpretadas ao pé da letra sem o conhecimento esotérico  colocam este Deus como um simples ignorante que depois de ver seus erros se arrepende do que fez e exclama – como o fez depois da devastação do dilúvio:

“Não tornarei pois a ferir vivente algum como fiz”. (Gênesis, Capítulo VIII, Versículo 21).

Recorde o leitor o transcrito do versículo 6 do capitulo VI do Gênesis no qual Jehová se arrependeu de haver criado o homem e ademais, sofreu uma dor intima no coração.

Tudo isto é completamente ilógico, posto que o DEUS da Terra é Onipotente, Onisciente, Radiante de Puríssima Luz de Glória, imutável para sempre.

Nos livros da GRANDE FRATERNIDADE BRANCA DOS HIMALAIAS, ao Deus da Terra, SRI BHAGAVAN NARAYANA, se lhe considera de Suprema Sabedoria, sem que jamais se arrependa nem sofra pelo que ele ordena, sempre conducente ao maior bem de todos os seres. A exposição de um DEUS Terrestre que fracassa em seus propósitos e depois se lamenta não é outra coisa que uma bárbara ignorância da eterna e perfeita Sabedoria Divina; porém no fundo desses erros existe a verdade de que um DEUS ou um NARAYANA dirige a evolução de todos os seres em uma ordem constante e eterna como está expresso no livro intitulado BHAGAVAD GITA, publicado em Madras (Índia) no ano de 1939 e que foi traduzido ao Espanhol e publicado no Chile em 1978, pela Sección Chilena da  SUDDHA DHARMA MANDALAM, no qual aparecem vários versículos que tratam sobre NARAYANA e os Avatares no Capítulo III, denominado “AVATARA DHARMA GITA”:

Página 39 – Versículo 3:

“Sendo EU de perpétua transcendência, infinita Inteligência e Diretor da Creação animada e inanimada, Me manifesto por minha própria Shakti, encarnando como KALYANI-PRAKRITI”.

Página 41 – Versículos 12, 13 e 14:

“As pessoas carentes de percepção átmica  só me consideram como um ser humano enquanto me apresento como homem entre elas, não reconhecendo Meu estado supremo de MAHESWARA ou o Transcendente”.

“Sempre que, O Bhárata, decai a retitude e sobrevém uma preponderância da injustiça, então Me manifesto como um SIDDHA para ensinar o verdadeiro conhecimento do Sanátana Dharma”.

“Para proteção dos justos, para transmutação da iniqüidade em retitude e para o estabelecimento do Sanátana Dharma, Me manifesto em formosas e benéficas encarnações, para ajustar o Dharma às necessidades dos tempos”.

Desde logo, quero expor as duas principais classes de Enviados Divinos. Os  AVATARES  propriamente  ditos,   cujas  Almas  são  unidas antes de nascer como seres humanos, com uma fração da Radiância de NARAYANA. Nos livros sagrados se diz que: a alma de SRI KRISHNA foi unida antes de nascer com a metade do poder de NARAYANA. Esta união é inquebrável enquanto viva o AVATAR sobre a Terra. Ela se desfaz, plano após plano à medida que o Enviado regresse por seu próprio poder ao espaço glorioso do qual veio ao mundo material denso. Um AVATAR desta classe não pode morrer destruído por velhice, enfermidades, fogo, etc., nem sequer por uma explosão atômica, devido a que NARAYANA, que venceu a morte, e, virtude do poder adquirido em sua evolutiva peregrinação através de inumeráveis reencarnações em diferentes mundos, não deve jamais experimentar a agonia da morte.

A outra grande divisão nas categorias Avatáricas, é a composta pelos Avesha Avatares os quais se unem com parte do poder do SENHOR DO MUNDO,  depois de haver nascido.

A JESUS de Nazaré se lhe denomina Avesha Avatar pois sua união com o Poder de NARAYANA se efetuou depois de nascido, mediante o ritual sagrado do batismo efetuado no Rio Jordão pelo Mestre Iniciador conhecido com o nome de João Batista. Depois dessa divina união com a LUZ CRISTICA do Santo Espírito de NARAYANA, Jesus de Nazaré recebe o nome de JESUS CRISTO, isto é, o Salvador Iluminado. Essa união hipostática se desfez antes que acontecesse a sua morte essa é a razão de suas palavras: “Pai, Pai porque me abandonastes?” Temos que pensar que o SUPREMO DEUS, jamais por motivo algum, pode abandonar a nenhum ser, posto que ELE MESMO é a Vida de sua Vida.

O Eterno DEUS CÓSMICO, Onipotente, permanece imutável, compenetrando todo o Universo, como também o Supremo Governador do Mundo: NARAYANA, permanentemente cuida da evolução dos seres que vivem nos planos espirituais e materiais. O que o SENHOR NARAYANA retirou foi a fração do SEU ESPIRITO SANTO que havia unido ao SER DIVINO de JESUS no ato do Batismo executado por João Batista.

H. P. BLAVATSKY, na “Doutrina Secreta” (Vol. I – estância VI, Versículo 7 – Os Sete Graus de Iniciação) se expressa sobre NARAYANA, nos belíssimos termos que reproduzo a seguir: (Reprodução no SANÁTANA DHARMA DIPIKA, página 55).

“Sentado no umbral da Luz, Ele a contempla desde o interior do circulo da obscuridade que Ele não quer cruzar; nem abandonará seu posto até o último dia deste ciclo de existência”.

“Por que o vigilante solitário se mantém no posto que ele elegeu? Por que permanece sentado junto à fonte da Sabedoria original da qual já não bebe, posto que nada existe a compreender que Ele não conheça, nem nesta Terra, nem a seus Céus?”.

Por que os peregrinos, solitários e cansados, que se encaminham de regresso a seu LAR, jamais se acham seguros, até o último momento, de não extraviar seu caminho neste deserto ilimitado de ilusão  e  matéria  que  se  chama Existência Terrenal. Porque, venturoso, deseja ensinar o caminho rumo à região de liberdade e luz, da qual ELE MESMO é um exilado voluntário, a cada prisioneiro que deseja liberar-se das ligaduras da carne e da ilusão. Por que, enfim, Ele se sacrifica pelo bem da humanidade, ainda quando uns poucos eleitos possam obter proveito do GRANDE SACRIFÍCIO”.

No SANÁTANA DHARMA se fazem várias alusões referentes a SRI BHAGAVAN NARAYANA e quem estudar e compreender esses ensinamentos, saberá que os AVATARES são pessoas distintas que não devem ser confundidas com o SUPREMO DEUS PARA-BRAHMAM, nem com BHAGAVAN NARAYANA, o CHEFE PLANETÁRIO.

Resumindo: O Supremo DEUS (ParaBrahmam) é o Onipotente, mecânico e consciente Poder do Infinito.

SRI BHAGAVAN NARAYANA é o nome de uma semente contida PARA-BRAH-MAM, que evolui através do ilimitado tempo passado até chegar a ser atualmente o SUPREMO CHEFE da Evolução de todos os seres em um planeta habitado.

“Há milhões de Narayanas, pois os governadores do mundo são considerados como Narayanas”.

“Sou Narayana, o Senhor da vontade Pura e proclamo ao mundo MINHA doutrina que dá vida e luz a toda creação”.

(Sanátana Dharma Dipika, pág. 168 vers. 248/252).

A HIERARQUIA ANGÉLICA – Está composta pelas inumeráveis consciências que evoluíram em outros planetas ou neste, através de inumeráveis eternidades.

OS AVATARES DIVINOS ou SIDDHAS SALVADORES – são seres divinos da Compaixão que, com imenso amor se entrega ao sacrifício de descer desde os Planos de Glória para ajudar a evolução dos seres, sob a inspiração de BHAGAVAN NARAYANA, que ajuda com parte de seu poder.

Dando um exemplo de qualidade muito inferior em comparação com a grandiosa obra real que efetua o SENHOR NARAYANA para apoiar o Seu Representante Enviado à Terra, direi o seguinte: peço aos que leiam o que aqui está escrito, que utilizem a intuição e imaginação puras para obterem um vislumbre do fenômeno hipostático que é o que caracteriza a um verdadeiro Avatar. Por outra  parte, hão que considerar que o exemplo é material e o ato de transfusão do Divino Poder ao Siddha Avatar é um ato espiritual.

Suponhamos pois que um menino é enviado para levantar e transportar para longe um grande peso e não o pode fazer por falta de suas próprias forças  físicas. Então o mesmo senhor que o enviou lhe introduz na manga do traje, segundo o considere conveniente, seja um dedo, a mão, ou todo o braço para cumprir o propósito que se tem em vista, de modo que as pequenas forças do menino, somadas à grande força do senhor possam levantar o enorme peso e transportá-lo ao lugar em que deve ficar.

Agora podemos dizer que, se se ajudou ao menino com um só dedo, a comparação foi de um dezesseis avos da Shakty ou Energia do SER SUPERIOR que o ampara. Se a ajuda foi com a mão, seria de uma oitava fração e se foi com Todo o Braço, a ajuda se consideraria de um grau maior. Assim continuaríamos progressivamente, até chegar à metade do Poder de NARAYANA.

É por essa desigualdade de graus na transfusão de energia, que os Enviados Divinos tomam diferentes nomes nos graus Avatáricos.  Os videntes da Verdade sabem que o Avatar SRI KRISHNA, que veio a este mundo há doze mil anos, no começo do Kaliyuga, atuou com a metade do Poder de BHAGAVAN NARAYANA, enquanto que o Avatar Sri Bhagavan Mitra Deva, nascido na época atual, somente possui um oitavo dessa Divina Shakty. Estas proporções variam segundo o trabalho que o Enviado tem que cumprir, como também a menor ou maior pureza do veículo físico no qual se manifesta. Quando mais opaco é o vidro de uma lâmpada elétrica, mais volts são necessários para se conseguir uma adequada luminosidade. Foi revelado pelos hierarcas da Suddha Dharma que, somente com esse oitavo Shakty de Bhagavan Narayana, pode Bhagavan Mitra Deva manifestar muitos e extraordinários poderes como nunca se viram antes neste Planeta. Atualmente Mitra Deva está influenciando sutilmente os meios políticos, sociais, científicos e religiosos de toda a humanidade e a Ele se deve que no presente a religião da SUDDHA DHARMA esteja expandindo-se por todo o mundo.

O Avatar Rama, assim como Krishna, Cristo, Mitra Deva e outros desses Excelsos Seres, são representantes do poder e vontade de NARAYANA, Senhor do mundo. É por isso que quem venera a qualquer um DELES, honra simultaneamente a SRI BHAGAVAN NARAYANA. Não quero deixar de dizer que também existem os avatares mulheres dependentes da DIVINA MÃE, SRI YOGA DEVI. Elas são as Mães Virgens que dão corpo a estes Misericordiosos Seres citados anteriormente.

Este ensinamento esotérico, usado pelos Hierofantes egípcios, estava simbolizado pelo DEUS Boi, Ápis, o qual nascia de uma vaca virgem para redimir ao povo Egípcio com o sacrifício de sua morte em um dos lagos ou tanques sagrados do templo.

Suponho que com tudo que aqui foi escrito, ficou claro as diferenças que existem entre os Narayanas e os Avatares, os quais são diferentes pessoas divinas para cada época ou circunstância.

O Maha-Rishi Bhagavan Narayana é o Divino Ser que em um planeta dirige até a perfeição todos os seres mediante a Hierarquia de Mahatmas e Yogues, os quais, desde as diferentes localidades espirituais, através dos éteres, inspiram aos egos viventes nos reinos da Natureza. Quando porém a Alma dos seres humanos se pervertem e endurecem seus veículos receptivos, impossibilitando a captação das inspirações divinas e na vida mundana prepondera a inveja, o egoísmo, o ódio, guerras, crimes e morte, então o MAHA RISHI NARAYANA,  envia  um  emissário  ou  Avatar  ao  mundo  a  fim  de que continue o processo evolutivo que não teve princípio nem jamais terá fim. (Sanátana Dharma Dipika, página 156 – versículo 140).

Entre os Enviados Divinos que já vieram citarei somente os três sublimes seres que pisaram a Terra nos últimos séculos: Krishna, Buda e Cristo, o qual, em repetidas frases que aparecem na Bíblia, diz: Isto não sou eu que o faço, mas o Pai que me enviou”. – Quem é o pai que o enviou? – Para nós, discípulos dos Mestres do Mandalam, é SRI BHAGAVAN NARAYANA. Na bíblia, segundo me parece, a este Sublime Ser também se lhe denomina MELQUISEDEC.

Para certificar minha opinião citarei aqui alguns versículos bíblicos:

GÊNESIS, Cap. XIV, Versículo 18. “Mas Melquisedec, rei da paz...” era sacerdote de DEUS ALTÍSSIMO”.

Segundo este versículo, este SER é um representante do SUPREMO DEUS ou PARABRAHMAM, o qual enviou o Cristo a Terra como deduz do versículo seguinte:

Epístola de São Paulo aos Hebreus, Cap. V Vers. 5:

“Assim também Cristo não se glorificou a si mesmo para fazer-se Pontífice: senão AQUELE que lhe disse: Tu és meu Filho, EU hoje te creei”. – Na mesma Epístola, Versículo 1, São Paulo expõe com maior detalhe Quem é Melquisedec, descrevendo: “Sem pai, sem mãe, sem genealogia, que não tem princípios de dias, nem fim de vida, mas feito semelhante ao Filho de DEUS, permanece sacerdote para sempre”.
Agora pergunto: Quem pode haver nesta Terra que não tenha pai nem mãe; nem genealogia alguma, permanecendo eternamente sacerdote como Altíssimo Filho de DEUS? – Neste mundo terrestre, nenhum ser pode atribuir-se esses qualificativos.

Estes misteriosos versículos podem ser compreendidos tendo claro conhecimento da existência espiritual de SRI BHAGAVAN NARAYANA, representante do PARABRAHMAM.

Ao DEUS da Terra, nada nem ninguém pode impedir-lhe que: se já enviou a JESUS, o CRISTO, e a outros Avatares anteriores, continue enviando Redentores as vezes que Ele julgue necessário, para benefício e felicidade de todos os seres. Os Sábios da SUDDHA DHARMA revelaram a existência do Avatar encarnado em nossos tempos: SRI BHAGAVAN MITRA DEVA, que como um amigo Divino, está inspirando a muitos homens e mulheres a Ciência da SUDDHA RAJA YOGA, a fim de que mediante esta Sabedoria Divina, os homens perversos se convertam em serviçais seres humanos, os humanos em santos e os santos em divinos.

GLÓRIA AO SENHOR DO MUNDO

OM NAMO NARAYANAYA

SRI VAYERA

Visto 20401 vezes Última modificação em 17 Outubro 2013

Mantras

Agenda

LOGO GS TRANSPARENTE

Atendimento:
Aracaju: 2a, 8h as 12h.
Balsa: Domingo, 7h30 as 13h.

Tai Chi: 2a  3a e 4a, 5h30.

Cura Prânica: 3a e 4a, 19h.

Cura Crianças: 2a, 18h.

Distribuição:

- Arroz: 2a , 19h

- Sopa.: 4a, 19h

Pintura Artística: 3a, 14h-17h.

Reuniões:
Pública: 2a, 19h30.

Prática da Saúde: 3a, 17h30.

Estudo: 5a, 18h00.


Núcleo Aracaju:
Edifício Milagres e
Reciclaria Novo de Novo
Rua Lagarto, 58 - Aracaju/SE.
CEP: 49010-390
Fone: (79) 3021 4015

 

Vídeos