O Atman - Uma Visão do Gita

Sábado, 21 Setembro 2013 17:07 | Escrito por 

No versículo 15 lemos o seguinte: “Repousa tua mente só em Mim, estabelece tua inteligência em Mim, e então permanecerás unicamente em Mim; e assim, todas as tuas dúvidas dissipar-se-ão”.

As primeiras palavras deste versículo não significam que devemos buscar a Deus longe, para depois descansar a mente Nele. Significa fixar a mente em Deus, porém sentindo-O mais perto, cheio de paz, com tranqüilidade, com profunda calma, imutável.

Ao tomar o Bhagavad Gita, no Capítulo XVII, intitulado Raja Vidya Dharma Gita, lê-se o seguinte: “O Cosmo se encontra compenetrado por Meu Imanifestado Ser e todos os seres estão em Mim, porém eles não me contêm”. (vers. 4).

O Cosmos e todo o Universo, incluindo o nosso sistema solar; e todas as galáxias se encontram compenetrados por este Imanifestado Ser. O importante é ter essa idéia, não digo consciência; pois essa idéia é nada mais que um pequeno vislumbre de que todo o Universo esta compenetrado pelo Espírito de Deus. Todos nós estamos dentro do Espírito de Deus. Ele está em toda a parte, em todo lugar, por Essência, Presença e Potência. Tudo isso conhecemos porque nos dizem ou porque lemos, mas, devemos chegar a ter absoluta consciência desta verdade. É necessário, sobre tudo, conhecermos esse Grande Mistério. Esse é um dos grandes objetivos que nos leva ao Yoga.

Deus está dentro de mim, este é o grande mistério. Devemos compreender que Deus está dentro de cada um de nós e também fora. E o que é que está mais distante do Universo? Deus, e, contudo, é o que está mais perto, porque é a raiz de nossa vida.

Lemos no mesmo capítulo o versículo nº 5: “Os seres não Me contêm; compreende tu que Meu Soberano Yoga é a base fundamental de todos eles, porém, não estou limitado por eles, já que Sou o Progenitor de todos os seres”.

Nenhum ser pode limitar Deus, em nenhum sentido, pois Ele é Imutável, e eternamente perfeito. Ninguém pode questionar a perfeição de Deus, se isso for bem compreendido, ver-se-á que nada pode “incomodar Deus”. Se assim ocorresse, Ele deixaria de ser perfeito e nós não podemos alterar Sua Perfeição. Sua Glória é Infinita e é Eterna. Ele está além de tudo que se passa neste e em todos os mundos.

Os seres não Me limitam; compreende tu que o Meu Soberano Yoga...” O que é este Soberano Yoga? É a compenetração de Deus através de todos os seres e esta compenetração é a Unidade de Deus em tudo.

Nós estamos fundamentados, temos vida e consciência, pensamento, memória e vontade, porque Deus está mantendo nosso espírito. Se Deus se retirasse de nós, cairíamos como nada. É Deus o fundamento de nossa existência.

“Meu Soberano Yoga” significa a perfeita união, pois nos une a todos os seres. Deus é o Pai de todos os seres. Deus dá vida a erva e a árvore. É o progenitor de todos os seres. Assim um verme tem a mesma essência que nós. À medida que os seres vão evoluindo, a vida vai se manifestando com maiores atributos divinos. Assim uma erva representa uma manifestação muito simples, já um elementar verme, comparado a uma erva, mostra um grau maior desta chispa divina.

Imaginem o que seremos nós diante de um Arcanjo? Talvez humildes vermes diante dessa divina potestade constituída de Devi-Prakriti ou Matéria Divina.

Vejamos o que nos diz o versículo 6: “Tal como o vasto vento sopra em toda extensão, estando inteiramente contido no firmamento, assim também deves saber que todos os seres manifestados moram e se movem em Mim”.

Quando São Paulo despertou a luz do espírito, despertou também o chakra frontal, e a auréola de luz floresceu da sua cabeça, levando-o a alcançar a visão universal. A visão universal acontece de acordo com o estado evolutivo de cada ser. Segundo São Paulo: “Em Deus nascemos, em Deus temos nosso ser, toda a evolução deste mundo está acontecendo dentro do Supremo Espírito de Deus”.

Versículo 7 e 8: “O aspirante Yukta, conhecendo os Tatwas, convence-se de que o Atma não realiza nenhuma ação, tais como: ver, ouvir, tatear, cheirar, mover-se, dormir, respirar. Falar soltar, agarrar, trabalhar e repousar, pois compreende que os sentidos e os objetos sensoriais atuam mutuamente”.

O Espírito atua através do maquinário humano, ou do menor animal, ave ou inseto. Como exemplo aproximado pode-se dizer que o rádio e a televisão, postos em ação pela eletricidade que atua através do mecanismo destes aparelhos, permitem que as ondas se manifestem e ouvimos música, vozes e vemos imagens.

Assim o Espírito de Deus está em toda parte, porém vai se manifestando cada vez com maior precisão, beleza, sabedoria, à medida em que mais perfeitos sejam as formas nas quais este Supremo Espírito vá se manifestando. Nós somos como a televisão ou um rádio, em nós está manifestado o poder, a memória, a inteligência e a vontade do Supremo Espírito de Deus.

O versículo 13 diz: “O Princípio de Vida não é a causa imediata da atuação dos seres no mundo, nem está unido, nem é afetado pelo fruto de nenhuma ação; é a matéria que constitui a causa imediata de toda ação no desenvolvimento do mundo”; O Espírito de Deus não faz mais do que dá a sua força.  O que atua são os sentidos do ser humano. É a matéria que está atuando por trás deste impulso.


Versículo 14: O Supremo Senhor não deseja o fruto da ação boa ou má, dedicado a Ele pelos aspirantes. Tal compreensão, com freqüência, está obscurecida pela ignorância do Princípio de Vida e, por isso, os seres erram no processo do mundo”.

O Princípio de Vida no imo de todos os seres é imutável e perfeito. O Espírito de Deus, a Divindade jamais falha. Ignoramos este ensinamento, por isso é que falhamos.

Segundo os Mestres temos que chegar a ser como uma rocha no meio do mar, em uma noite de tempestade, contra a qual enormes e turbulentas ondas chocam, e esta não se move de seu lugar. Assim tem que ser a mente daquele que medita: imutável e serena. Em profunda meditação no Espírito de Deus, em comunhão espiritual e perfeita.

A palavra “repousa” significa quietude perfeita. Por sua vez o termo “somente em Mim” indica que a mente não deve estar como um redemoinho, pensando em outras coisas. A mente deve ser como uma flecha que se prega na idéia escolhida, sem movê-la nem um só instante; e quando as dúvidas se dissiparem, então se verá a Luz, chega-se à sabedoria oculta, e o Grande Mistério se aclara. Dessa forma, conhece-se a Sabedoria Divina.

Sri Vayera

Ler 62425 vezes