Suddha Sutra

Sábado, 21 Setembro 2013 18:14 | Escrito por 

Louvores ao Insuperável Senhor do Universo,

Sri Bhagavan Narayana, e à Soberana Rainha

da Divina Hierarquia, Sri Yoga Devi.



Suprema Divindade Origem do Cosmo!

Congregações de Devas se rendem a Ti! Alguns, rendidos por Tua glória, adoram-Te de mãos postas; Hostes de Hierarcas, Maharishis e Siddhas aclamam-Te, invocando-Te com inumeráveis cânticos.

Gita - Cap. XXVI - sloka 38

Ó Tu, Senhor do Cosmo!  Poderiam eles deixar de adorar-Te? Ó Tu, Todo-Poderoso; Tu, o Primordial Antepassado de Brahma Criador; Tu, o Infinito, Senhor dos Deuses; Tu, a Imanência dos Mundos, a Eternidade, o Imanifestado e o Manifestado; Tu És o Transcendente, que está sempre mais além de tudo!

Gita - Cap. XXVI - sloka 40

Glória a Ti, Senhor, Imperecível! Eu Te adoro!

Ó Senhor do Yoga! Como, por constante meditação, posso conhecer Teu Supremo (Paramátmico) Aspecto? Ó Bem-Aventurado Senhor, ainda mais, como deverias Tu ser concebido em meu pensamento em Teus Aspectos manifestado e imanifestado?

Gita - Cap.III - sloka 1

Morador Interno em Todos os Seres! Eu Te Adoro!

Ó Purushotama!, Só Tu Te conheces a Ti mesmo, Tu que És a Origem do Cosmo, Interno Morador em todos os seres, a Suprema Divindade e o Diretor dos mundos.

Gita - Cap.XIII - sloka 1

Tu És o único capaz de revelar todas as Tuas divinas excelências manifestadas, com as quais, permaneces eternamente compenetrando todos estes mundos.

Gita - Cap.XIII - sloka 2

Tu, de Infinita Existência, manifestado e imanifestado; Tu que impulsionas todas as Faculdades Cósmicas; Tu, Executor de toda auspiciosa ação; Tu És o Único Conhecedor de Tua própria natureza. Vitória a Ti! Que És o Sublime e o Dispensador de todo amor.

Gita - Cap.XXVI - sloka 61

Tu, o Onisciente Brahman, o Sempre Presente em todos os seres; Tu, o Adepto em todo Conhecimento, e em todo Dharma, sempre seguido pela Vitória.

Gita - Cap.XXVI - sloka 62

Tu És o Transcendente e Absoluto Brahman, o Último Refúgio, a Suprema Santidade, o Interno Purusha, Eterno, Resplandescente, Prístina Divindade, Sem Princípio e Soberano!

Gita - Cap.XXVI - sloka 32

Guardião do Dharma Eterno! Infalível e Suprema Morada! Eu Te Adoro!

Tu És o Imortal, a Grande Busca de todo Conhecimento, a Suprema Morada deste Cosmo; Tu És o Infalível, o Guardião do Eterno Dharma; eu Te adoro como o Ancestral Purusha, o Imanente.

Gita - Cap.XXVI - sloka 37

Vitória a Ti, ó Hrishikesa! Por Tua magnificência o Cosmo se regozija e extasia-se. Os poderes asúricos, tomados por respeitoso temor, dispersam-se em todas as direções, e todas as hostes de Siddhas inclinam-se em reverência a Ti.

Gita - Cap.XXVI - sloka 39

Pai de Todos os Seres! Grande Instrutor! Eu Te Adoro!

Tu És Vayu, Yama, Agni, Varuna e Chandra; Tu És o Pai (Paramatma) de todos os seres, como também seu Ancestral (Purusha); adoro-Te! Deixa que minha adoração a Ti se renove por milhares de vezes ainda, sempre com mais intenso fervor!

Gita - Cap.XXVI - sloka 42

Tu És o Progenitor de todo o Cosmo móvel e imóvel; És digno de cósmica adoração, o Grande Instrutor; não há ninguém igual a Ti! Quem então pode superar-Te nos três mundos [Gñana (Conhecimento), Iccha (Desejo ou Vontade) e Kriya (Atividade ou Ação)], ó Tu, de inigualável Poder?

Gita - Cap.XXVI - sloka 46

Tu És o Primeiro entre os Devas, És o Ancestral Purusha, a Grande Base do universo manifestado; Tu És o Conhecedor, o Tema de todo Conhecimento e o Sublime Refúgio; por Ti, ó Tu de infinitas manifestações! Todo este Cosmo permanece compenetrado.

Gita - Cap.XXVI - sloka 41

Origem do Lótus Cósmico! Dharma Encarnado! Progenitor de Tudo! Eu Te Adoro!

Tu, a Origem do Lótus Cósmico, Tu És o Onividente. Vitória a Ti!, que És o Senhor dos Governantes dos mundos; ó Tu que transcendes o Passado, o Presente e o Futuro! Vitória a Ti que És pleno de divina beleza, e em tudo moras imanente.

Gita - Cap.XXVI - sloka 57

Ele, o Dharma Encarnado, o Divino, o Transcendente, o Soberano Narayana – Krishna – assim louvou Brahma, o Criador, dotado de suprema inteligência.

Gita - Cap.XXVI - sloka 55

Vitória a Ti! Que És o Todo, a Suprema Divindade, Vitória a Ti! que Te consagras ao bem-estar dos mundos;Vitória a Ti! Mestre do Yoga, ó Senhor! Vitória a Ti! Que através da Yoga transcendes o manifestado e o Imanifestado.

Gita - Cap.XXVI - sloka 56

Ó Tu, o misterioso Princípio de Vida, a Alma de todo Yoga, a Origem da Criação manifestada. Ó Tu, o Primeiro de todos os seres, Diretor do processo do mundo. Vitória a Ti! O Progenitor de tudo.

Gita - Cap. XXVI - sloka 63

Vitória a Ti Para Sempre, Senhor do Amor e Origem da Imortalidade!

Ó Tu! Que existes por Ti mesmo, de infinita manifestação; Tu o Consumador de todo o Cosmo; o Impulsionador de todas as aspirações; Vitória a Ti!,  Que És o Supremo Brahman; Tu, amante da Vitória.

Gita - Cap.XXVI - sloka 64

Ó Tu, que estás empenhado na criação e consumação, Senhor do Amor, Suprema Divindade, Origem de toda Imortalidade, Senhor da Liberação e Propiciador da Vitória.

Gita - Cap.XXVI - sloka 65

Senhor de todos os mundos, Regente, Excelsa Divindade, Origem do Lótus Cósmico, Todo-Poderoso, Criador de Si Mesmo, Ser Supremo, Senhor de todas as Essências, Vitória a Ti!,  para sempre e sempre!

Gita - Cap.XXVI - sloka 66

Refúgio de Todos! Excelso Mistério! Senhor do Universo! Eu Te Adoro!

A Deusa Terra representa Teus pés; os Espaços, Teus dois braços; o Céu, Tua coroa; o Átma, Tua manifestação; os Regentes dos Mundos são Tuas extremidades; o Sol e a Lua são Teus dois olhos.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 67

Toda a energia, austeridade, verdade e atividade funcional no Cosmo estão compenetradas por Tua Lei; o Fogo é Tua radiância; o Vento é Teu alento, e todas as Águas são Tua transpiração.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 68

Teus ouvidos são os Gêmeos Aswin; a Deusa de eterna Sabedoria é sempre Tua palavra. Os Vedas estão repletos de regulamentos ordenados por Ti, e todos os mundos repousam em Ti.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 69

Ó Tu,! a grande Serpente e o poderoso Javali, Tu, o Ancestral, o Radiante Shiva; Vitória a Ti! que És o Soberano; Tu, cuja vestimenta é resplandecente, Senhor de todo o Espaço; Morador Interno no Universo inteiro, Tu És Imaculado!

Gita - Cap.XXVI - Sloka 60

Vitória a Ti! Refúgio de Todos os Seres! Eu Te Adoro!

Deixa-me adorar-Te em Tua forma manifestada, como também em Tua Natureza imanifestada; deixa que vá minha silenciosa adoração a Ti, que transcendes tudo. Tu És de infinitas façanhas e imensurável energia; tudo abarcas e compenetras.

Gita - Cap. XVI - Sloka 43

Tu És a Estância de infinitas excelências. Vitória a Ti! Que És o Refúgio de todos; Ó Tu, Narayana, o Excelso Mistério! Vitória a Ti que empunhas o divino arco “Sharanga”.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 58

Vitória a Ti!, Que És de Transcendente Natureza, de Cósmica Personificação, Infalível, Senhor do Universo, Onipotente. Vitória a Ti!, Que estás sempre presente impulsionando a consumação dos mundos.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 59

Ó Senhor de todos os Yogues, e Eterno Vencedor! Nós não conhecemos Tua totalidade ou dimensão, nem Tua Glória, nem Tua Energia, nem Teu Poder.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 70

Se, ignorando Tua divina Natureza e considerando-Te como a um companheiro, eu me dirigir a Ti como Krishna, como Yadava, e também como a um amigo, seja por inadvertência, ou ainda por carinho;

Gita - Cap.XXVI - Sloka 44

Se eu, por brincadeira, só ou em presença de outros, tenho-Te demonstrado irreverência, seja em Teus momentos de descanso, ou em Tuas horas de refeição, ó Tu, Imaculado!, Imploro-Te perdão!  A Ti que És eternamente o Infinito.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 45

Meu Pai! Meu Amigo! Meu Amado! Revela-Te a Mim Se Me Julgas Digno de Contemplar-Te!

Eu me inclino ante Ti e prostro-me buscando Tua Graça. Tu És o Senhor, digno de toda adoração. Ó Tu, Divino!, sê paciente comigo, assim como o pai é com o filho, o amigo com o amigo, e o amante com sua amada.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 47

Ó Divino Senhor!, assim como Te revelaste a Ti mesmo, ó Purushotama!, eu anseio contemplar Tua Suprema Manifestação Cósmica.

Gita - Cap.XII - Sloka 1

Ó Senhor, se me julgas digno de contemplá-la, ó Senhor da Yoga!, revela-me Tuas infinitas manifestações.

Gita - Cap.XII - Sloka 2

Ó Senhor!, Contemplo em Teu Corpo a Hierarquia de todos os Devas, como também hostes de outros seres – Brahma em Seu trono de lótus; o Deus Isa, os Sábios e todas as divinas manifestações dos Arquétipos dos Sete Raios, e infinitas outras criações.

Gita - Cap.XII - Sloka 23

Eu Te contemplo em Tua infinita manifestação, em toda parte, pleno de poder, envolvente, criador de tudo e de visão universal; ó Senhor do Cosmo! Eu contemplo Tua cósmica revelação, que não tem princípio, nem meio, nem fim;

Gita Cap.XII - Sloka 24

Eu Te contemplo no esplendor de Tua glória, cingido com diadema, mantendo o disco e o cetro, deslumbrante, refulgindo em toda parte; estás mais além de toda contemplação, incomensurável, com radiância que circunda tudo, semelhante a do Fogo e de inúmeros Sóis;

Gita - Cap.XII - Sloka 25

Eu me regozijo contemplando o que nunca foi visto antes por mim; porém, minha mente está agitada de espanto. Ó Senhor! Revela-me de novo Tua forma familiar, sê Tu, cheio de graça, Senhor das hostes, Tu, Habitante destes mundos.

Gita - Cap.XII - Sloka 26


Igual às numerosas correntes de água dos rios que deslizam em direção ao oceano, assim estas legiões de guerreiros buscam entrar em Tua boca, e, penetrando nela, reluzem resplandecentes.

Gita - Cap.XII - Sloka 27

Tudo o que Me Disseres Eu Aceito Como Verdade, Oh Bhagavan! Senhor Bem Aventurado

Anelo contemplar-Te como eras antes, com a tiara, com o cetro e o disco em Tuas mãos; ó Tu, possuidor de milhares de braços! Senhor do Universo! Assume outra vez Tua forma com quatro braços.

Gita - Cap.XII - Sloka 28

Ó Janárdana!, contemplando agora Tua graciosa forma humana, sinto restabelecida minha natural equanimidade mental.

Gita - Cap.XII - Sloka 34

Assim todos os Sábios, o celestial Narada, Asita, Devala e Vyasa falam de Ti; e assim Tu mesmo Te revelaste a mim.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 33

Ó Keshava (Krishna)!, tudo isso que me disseste eu aceito como verdade, ó Bhagavan (Senhor do Pravritti, Nivritti e da Yoga)! Nem sequer os Deuses conhecem todas as Tuas manifestações; nem os Danavas de asúricas tendências.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 34

Anseio Conhecer o Supremo Ensinamento Oculto, Para Minha Felicidade Espiritual! Oh Tu, de Olhos de Lótus!

Ó Keshava (Krishna) aspiro saber o que é a Prakriti e o Purusha, o Kshetra e o Kshetragna (o Morador Interno), como também o necessário conhecimento e a que ele conduz.

Gita - Cap.XXI - Sloka 1

Por meio do Supremo Ensinamento Oculto, que revela o Princípio de Vida (Atma), sobre o Qual me falaste atento à minha felicidade espiritual, minha ignorância foi dissipada.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 35

A Ciência do Pravritti e do Nivritti de todos os seres no processo do mundo, o Samsara foi ouvida por mim, com atenção, em todos os seus variados aspectos, e de Ti, ó Tu, dos olhos de lótus! Aprendi a inviolada culminação (Yoga) de ambos.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 36

Último Refúgio de Todos os Seres! Nós Te Adoramos!

Ó Senhor! Sempre jubiloso e com intensa devoção a Ti, nós Te buscamos com toda disciplina e adoração, ó Vishnu!, Que És o Grande Senhor e Maheshwara.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 71

Tu És o Último Refúgio de todos os seres, o Diretor e Mestre de todos os mundos; Supremo Senhor, por Tua Graça os Imortais são abençoados.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 72

Ó Senhor! Concede-me a realização de meus anelos para estabelecer o Dharma e a transformação do Adharma, para a preservação do processo do mundo, o Samsara.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 73

Ó Vasudeva! Tu, o Senhor, através de Tua graça, estou capacitado para proclamar Teu Verdadeiro e Supremo Mistério, assim como ele é.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 74

Oh, Senhor Infalível!

Minha ignorância foi dissipada e minha memória foi recobrada através de Tua Graça. Ó Tu, Imaculado! Permaneço firme diante de Ti, livre de toda dúvida. Executarei todas as Tuas ordens.

Gita - Cap.XXVI - Sloka 48

Cânticos entoados pelos Maha Rishis e Siddhas, à Sri Yoga Devi, no momento de sua coroação como Suprema e Gloriosa Rainha do Suddha Dharma Mandalam

Adoração

1. OM HRIM SRIM KLIM - Oh Tu, Mãe Divina, plena de glória, outorgadora da inteligência que promove as idéias concretas, abstratas e sua síntese. Bem amada do Senhor do Suddha Dharma Mandalam, resplandescente, mais radiante que o sol. Magnificente Origem de toda bem-aventurança e glória. Causa primeira das celestiais riquezas. Constante e divina efulgência na forma resplandescente da sagrada sílaba mística SRIM. Morada da alegria plena. Radiante, Esplendor de Glória com a deslumbrante forma da poderosa sílaba HRIM. Criadora de todas as maravilhas. Original Poder que impulsiona os esforços para conseguir os anelos do coração, mediante o brilhante poder da sílaba mística KLIM. Quintaessência de tudo que é divino. Causa de toda prosperidade. Tua forma é gloriosa.

Namastê Namastê Namastê

2. Da Sabedoria És a essência e o néctar; das bênçãos divinas És a maravilhosa causa; fonte gloriosa da augusta plenitude da alegria da alma. Forma esplendorosa, exaltada como Brahman com a sílaba mística AIM.

Namastê Namastê Namastê

3. Oh Tu, de infinita variedade, plena de beleza, irradiação de gozosa alegria, suprema bem-aventurança, gloriosa sustentadora do corpo causal, dotada com a essência dos sons místicos KAM  e HRIM.

Namastê Namastê Namastê

4. Oh Tu, que manténs toda a criação, sua causa primeira, origem do mantram OM NAMO NARAYANAYA, o qual contém variadas sílabas de poder. Também se Te invoca por meio das sílabas HUM e LAM.

Namastê Namastê Namastê

5. Manifesta-Te na plenitude da Vida que toma infinitas formas vibrantes com numerosas sílabas de poder.  Manifesta-Te aos que observam seus Dharmas, vivem uma vida natural, austeros, cumprem as práticas meditativas e entoam sagrados cânticos quando Te adoram. Vibram com todas as harmonias através de ondas etéricas, sonoras e superatômicas. És a magnífica sustentadora dos AKSHARAS ou Sons, e a substância Causal das imperecíveis criações planetárias. Impulsionas para que te conheçam mediante o Som KRAIM, repercutindo em Tua forma com o som do KRIM.

Namastê Namastê Namastê

6. Oh Tu, suprema causa primeira de todas as imperecíveis excelências, receptáculo dos poderes sutis. A Ti alcança-se pronunciando as fórmulas sonoras SAM e HIM.

Namastê Namastê Namastê

7. Oh Tu, Onipenetrante Divindade Cósmica, móvel e imóvel, inspirada sustentadora da criação densa e sutil; causa gloriosa dos sons ou Aksharas, conhecida por meio do Som místico que brilha como o Sol e dotada com as qualidades dos sons OM e HRIM.

Namastê Namastê Namastê

8. Oh Tu, Gloriosa manifestação de Brahma, máxima fruição de todas as divinas excelências. Causa e fundamento das energias masculinas e femininas em manifestação, conjunto múltiplo da variada essência; causa do som que produz a felicidade plena do mistério de Brahma. Estás dotada dos sons KLIM e SRIM.

Namastê Namastê Namastê

9. Oh Tu, essência do oculto néctar da sabedoria, reveladora de seu poderoso fluir. Sedutora causa do êxtase Brâhmico proveniente da forma cósmica. Fonte Primordial, alcançável mediante as sílabas KLIM e SRIM.

Namastê Namastê Namastê

10. Oh Tu, a Quem se conhece por meio do Som, causa dos gloriosos êxtases iluminativos; primeiro refúgio para aqueles que experimentam as gloriosas vidências com forma e mais além das formas. Fonte iluminadora dos sons sussurrantes, elevados, constantes, ressonantes, rítmicos, ruidosos, retumbantes em ondas radiantes que fluem desde Teu centro, com a poderosa vibração da nota final. Deslumbrante manancial dos inumeráveis sons. Tu conferes excelso júbilo por meio dos Sons Místicos SHRIM - HRIM - KHAM - HUM.

Namastê Namastê Namastê

11. Oh Tu, causa raiz dos sons de poder em todas as ilhas e oceanos, cimos e depressões, em todos os homens, Anjos, Rishis, Manus, Mahatmas e Yoguis. Nas rondas dos mundos setenários e no Cosmo infinito, És o fio que os une, como também o És enlaçando o Paramatma com o Jivatma manifestando-Te com a vibração dos poderosos sons SRIM - AIM - HRIM.

Namastê Namastê Namastê

12. Oh Tu, Infinita, Verbo inicial, Origem da criação animada, da Forma Cósmica do Primordial Som que estimula a austeridade, a meditação, a devoção, a ação e sua síntese. És a Base na qual se sustentam todas as energias. És a Causa Primeira do Divino Poder Sonoro que gera inesgotáveis energias nos Maha-Mantrans plenos de potência. Tu te manifestas ante a invocação das sílabas AIM e SRIM.

Namastê Namastê Namastê

13. Oh Tu, causa sintetizadora de todos os mundos, mística união dos seres superiores e dos inferiores; inspiras o supremo conhecimento de que as almas, em essência, são todas iguais. És Origem do Cósmico Brahman, iluminando o curso de Sua Glória. Verbo criador do universo inteiro. Sublimas a castidade e a austeridade, fazendo frutificar a meditação com forma ou sem ela. Tu, Deusa, respondes quando Te invocam com as sílabas SRIM e OM.

Namastê Namastê Namastê

14. Oh Tu, Gloriosa Divindade, transcendente causa primeira, ocupando todas as formas, És adorada na imanência. A Ti exalta-se como o Atma, Anatma, Samatma, Sutratma e Paramatma. Origem do bem aventurado instante de meditação em que se alcança aquilo que tudo compenetra, que seja no estado de vigília, de sono, de sono profundo ou no quarto estado de Yoga, denominado Ananda, como também, naquele que o transcende. És a forma divina que se chega a conhecer pelo estudo do Mahaveda. Invocamos-Te mediante as sílabas HRIM e OM.

Namastê  Namastê  Namastê

15. Oh Tu, plena de magnificência, adorada por Virat Brahma, cujo poder dá vida aos seres encarnados e desencarnados, desde Brahma até o infinitamente pequeno. És dotada de brilhante forma e do glorioso poder criador; Oh Tu, essência do prodígio divino dos sábios perfeitos. Possuis as encantadoras perfeições de Brahma e a alegria de Glória que brota do Brahmananda. És o supremo encanto dos misteriosos ensinamentos contidos nos Vedas, nas Vedangas e em suas Upangas. És a essência da flor do Mahakusuma, Essencial morada dos Jivas. De Ti flui a sutil fragrância da flor de Kusuma. Tu És o vibrante som de celestial majestade e És a experiência do dulcíssimo êxtase. Suprema fonte de todas as qualidades materiais, de sua natureza e das mudanças que nela surgem. Oh Tu, por cujo poder consegue os mundos que evoluem, sua existência e seu transformar-se, como também os universos, o Cosmo, e os grandes ciclos. Possuis as qualidades da resplandecente sílaba mística e também dos sons sagrados AM - KAM - SRIM - HRIM.

Namastê  Namastê  Namastê

16. Oh Tu, que És a expressão do altíssimo Verbo Divino; Orbe Solar dos mundos imortais. Morada de Brahma. Causa única e gloriosa. És o mesmo Universo Solar resplandescendo com a imensa excelsitude de sua grandeza. Das águas És a sacratíssima essência. Quanto tem de verdadeiro e de puro está em Ti, porque Tu lhes destes tais qualidades. Oh Tu, maravilhoso brilho dos mundos do Sol, És o prístimo poder e a energia dos grandes Rishis, Mahatmas, Siddhas e Yogues nas divinas categorias de Virat, Vasudeva, Mahadeva, Hiranyagarba, Vasu, Rudra, Aditya e Asvami, concedendo o êxito bendito aos grandes Brahma-yogues que te adoram. És a Luz interna do Orbe Solar de Sri Narayana o sempre adorado Senhor de todo o Universo. Respondes pelo poder das sacrossantas sílabas RIM - SRIM - HRIM - OM.

Namastê  Namastê  Namastê

17. Oh Tu, Causa primeira da brilhante forma do Akshara, inspiradora das façanhas de Mahadeva o grande Senhor de Kailas. Tu destróis aos que são inimigos das austeridades que impedem a pureza límpida das experiências, detendo assim, o progresso dos discípulos entregues ao ascetismo, para que estes alcancem a unidade, a fraternidade e o bem-estar do mundo. És destruidora daqueles que se opõem à prosperidade que nasce das boas ações ou da variedade das benditas experiências. Afastas a quem impede o contínuo contato com o Senhor e com os Maharishis, Mahasiddhas e Mahayogues, És a ajuda, para que experimentem o poder da clariaudiência. Tu retiras todo o impedimento que se tenha para realizar as ações saudáveis, para conseguir a visão divina e o fluir do néctar essencial que vem das penitências ou sacrifícios, das práticas e das meditações que se realizam para conseguir a aproximação consciente ao Parabrahman. Manifestas-Te por meio dos sagrados sons TIM e KIM.

Namastê  Namastê  Namastê

18. Oh Tu, que possuis o poder do original som. Estás sempre irradiando alegria, constantemente auspiciosa, infinita, imaculada, eternamente imersa na Felicidade suprema de Brahma, conferes o puro e desapaixonado conhecimento do renunciamento e da atuação e surges com a vibração sonora das sagradas sílabas OM - SRIM - HIM

Namastê  Namastê  Namastê

19. Oh Tu, auspiciosa manifestação do santo som do Akshara, digna de todo elogio. Refúgio de quem te adora. Plena de graça. Inspiradora do maravilhoso êxtase da dança sagrada. Refúgio protetor de tudo que tem vida. Criadora de tudo quanto existe. Radiante alegria. Veículo purificador de todos os ritos. És a mais alta e plena expressão da essência do néctar que gera a bênção de Brahma. Santuário e inspiração das ciências mágicas. Em todas as artes sagradas e em suas múltiplas austeridades És a constante e maravilhosa inspiração. Oh Tu, morada dos que meditam. Força purificadora dos excelsos mantrans e agradáveis cânticos que cheios de potência vital produzem felicidades celestiais. Tu te manifestas nos mantrans, nas sílabas místicas, nos Sankus, Padmas e Chacras consagrados. Santuário do mais puro e eterno dharma, revelado em seu devido tempo aos homens e aos Anjos de Brahma. Tu És o divino mantram que harmoniza a pureza, eliminando tudo quanto possa haver de impuro. Oh Tu, morada de Bhagavan Sri Narayana do Suddha Dharma Mandalam, outorgadora de maravilhosas bênçãos. Oh Tu, refúgio dos Dasas, Thirtas, Brahmas e Anandas. Oh Tu, debaixo de cuja proteção se alcança a longevidade e a experiência que nela tem. Oh Tu, que conduzes ao êxito de todos os propósitos e a glória de todas as yóguicas disciplinas, como também a mais excelsa liberdade. Invocamos-Te pelas místicas sílabas OM - BHUM - SRIM.

Namastê  Namastê  Namastê

20.  Prístimo poder que guia e governa. Shakti divina e poderosa energia dos seres humanos e dos Devas, dos seres imóveis e dos que se movem. Fonte de todos os êxitos, favorável, onipotente energia, onipresente em todo o planeta. Oh Tu, Shakti de Brahma, manifestada e imanifestada, vibras e resplandesces com o som. Poder imortal, auspiciosa doadora de felicidade, plena de excelsa alegria. Oh Tu, que com Divino Poder dá a energia pura a todas as ações. Oh Tu, com plena sabedoria geras o êxtase Brâhmico. Oh Tu, que com preeminente inteligência atuas na multiplicidade do Cosmo, És a revelação do conhecimento que promove o Samadhi. Bendito Poder que conduz à aproximação consciente de Deus. Maravilhoso Poder, suprema e bendita sabedoria máxima de todas as ciências. Fonte original da gloriosa experiência do som e de sua sinfonia; conferidora da suprema essência do esplendor pleno da máxima alegria, És a semente do poder da qual brota a clariaudiência, És a mística causa que permite as comunicações espirituais, como também, o dom de escutar, ver e tocar à distância. Oh Tu, que libertas do pesaroso efeito dos venenos; da cruel, desolada e demoníaca epilepsia; de grandes febres, da cólera e dos maléficos espíritos. Poder indestrutível, Suprema Energia de Brahma, cuja experiência consciente se adquire por meio do conhecimento, do desejo, da ação e da síntese. Eterno Poder protetor de todos os seres. Fonte sustentadora da união com o Grande e Poderoso Sri Narayana. Onipotente e encantadora Energia geradora da graça protetora do mundo, em sua convergência e variações, originas o fluir da essência do néctar divino. Oh Tu, que Te manifestas com magnífico Poder, crias a mais adorável manifestação divina. Perpétua causa do Poder da Yoga, invocada com as sílabas místicas AIM - HRIM - OM.

Namastê  Namastê  Namastê

21.  Oh Tu, resplandescente força nervosa fundamental, vibrante, melodiosa e ressonante. Poderoso vigor dos nervos, manifestado, transcendente, imortal, És a puríssima substância, suprema, poder do átomo, divina, interna, física e sutil, inesgotável potência. Brilhante e esplendorosa energia dos nervos, causa constante dos esforços cheios de alegria, de casta felicidade, em seus começos e em sua conservação. Tu És quem dás a iluminação a todos os tratados de sabedoria. Tu tens todas as qualidades do esplendoroso poder supremo. Luminosa força nervosa. Deusa da mais esplêndida criação de tudo quanto surge das austeridades, da atuação, da devoção e da rendição. Tu És a causa da experiência cheia de bênçãos na gloriosa bem-aventurança. Tu impulsionas e sustentas a iluminada criação. Tu também manténs a ordem Hierárquica que se manifesta como Virat-Brahma, originando e sustentando a excelente experiência da longevidade. Radiante força nervosa que facilita a entrada dos corpos sutis aos homens e aos Devas, dando experiências maravilhosas da eternidade e iluminando a concepção das ações que devem cumprir-se ou não cumprir-se; Tu És plena da mais sublime excelência e dos perfeitos estados de purificação. Tu conferes a precisa atividade para conseguir os essenciais propósitos. Tu És quem revela as sutis verdades que contêm as palavras conhecidas ou desconhecidas. Tu És a fonte primeira das maiores maravilhas. Radiante luz dos nervos que facilita o conhecimento de todas as formas imanentes, como também a dos Siddhas, dos Maha Purushas e dos Mahatmas. De Ti emanam todas as beatitudes. Tu concedes o segredo da fraternidade humana e de Ti fluem os puríssimos néctares. Tu livras das mortes violentas e de repentinos falecimentos aos que vivem no mundo. Potência nervosa que ao difundir-se faz-se desnecessária a conversação com os Devas e com os homens em todos os mundos. Tu concedes o conhecimento do poder de Iswara, a aquisição de todas as benditas qualidades, o conhecimento do princípio átmico que transcende a palavra, a mente e o intelecto. Tu És quem confere a adequada percepção de tudo que é divino. Tu concedes o siddha-mantram e também o som místico que elimina todos os inimigos dos homens, das mulheres e das crianças. Esplendorosa força nervosa que produz a exaltação do Rei no coração de cada ser. Tu És causa máxima de todo auspicioso credo e aspiração. Deusa que percebe a essência do som místico mediante o qual Te invocam e Te manifestas como SRIM - AIM - HAM.

Namastê  Namastê  Namastê

22. Glória a Ti! Poder e Guia, excelsa para a bênção suprema. Fonte de imensa misericórdia. Tu És a que infundes a inspiração para alcançar os grandes êxitos. Deslumbrante Deusa imortal, protetora eterna de teus devotos. Oh Tu, permanentemente auspiciosa, poder infinito de Mahasiva. Oh Tu, Maha-Shakti de Sri Narayana. Deusa etérea, de eterna e radiante alegria sempre em plenitude, És o sustento de todos os seres Brâhmicos. Glória a Ti, que Te manifestas na forma Brâhmica, sendo a raiz sustentadora do Cosmo. És plena de graça. Tu nos salva da sede e da fome. Glória a Ti, Deusa que executa todas as ações com completo êxito. Glória a Ti, que És a mais perfeita forma Brâhmica, a Ti, que Te manifestas pelo poder das místicas sílabas OM - HRIM - SRIM - KLIM - AIM - SAUH.

Namastê  Namastê  Namastê

Ler 43451 vezes Última modificação em Quarta, 25 Setembro 2013 18:47