Louvor de Arjuna ao Senhor

Terça, 08 Outubro 2013 20:34 | Escrito por 

Tu és o Imortal, a Grande Busca de todo Conhecimento, a Suprema Morada deste Cosmo; Tu és o Infalivel, o Guardião do Eterno Dharma; eu Te adoro como o Ancestral Purusha, o Imanente!

Congregações de Devas se rendem a Ti; alguns, subjugados por Tua glória, Te adoram de mãos postas; e Hostes de Hierarcas, Maharishis e Siddhas Te aclamam invocando-Te com inumeráveis cânticos.

Vitória a Ti, ó Hrishikesha! Por Tua magnificência o Cosmo se regojiza e se extasia. Os poderes asúricos, tomados por respeitoso temor, se dispersam em todas as direções, e todas as hostes de Siddhas se inclinam em reverência a Ti!

Ó Tu, Senhor do Cosmo!, poderiam eles deixar de adorar-Te? Ó Tu, Todo-Poderoso; Tu, o Primordial Antepassado de Brahma Criador; Tu, o Infinito, Senhor dos Deuses; Tu, a Imanência dos Mundos, a Eternidade, o Imanifestado e o Manifestado; Tu és o Transcendente, que está mais além de tudo!

Tu és o Primeiro entre os Devas, és o Ancestral Purusha, a Grande Base do universo manifestado; Tu és o Conhecedor, o Tema de todo Conhecimento, e o Sublime Refúgio; por Ti, ó Tu de infinitas manifestações!, todo este Cosmo permanece compenetrado.

Tu és Vayu, Yama, Agni, Varuna e Chandra; Tu és o Pai de todos os seres, como também seu Ancestral; eu Te adoro! Deixa que minha adoração a Ti se renove por mil vezes e mais vezes ainda, sempre com mais intenso fervor!

Deixa-me adorar-Te em Tua Forma manifestada, como também em Tua Natureza imanifestada; deixa que vá minha silenciosa adoração a Ti, que transcendes tudo. Tu és de infinitas façanhas e imensurável energia; tudo abarcas e compenetras.

Se eu, ignorando Tua divina Natureza, e considerando-Te como a um companheiro, me dirigi a Ti como Krishna, como Yadava, e também como a um amigo, seja por inadvertência, ou ainda por carinho;

Se eu, por brincadeira, só ou em presença de outros, Te tenho demonstrado irreverência, seja em Teus momentos de descanso ou em Tuas horas de refeição, ó Tu, Imaculado!, imploro-Te perdão!, a Ti que és o Infinito.

Tu és o Progenitor de todo o Cosmo móvel e imóvel; és digno de cósmica adoração, o Grande Instrutor; não há ninguém igual a Ti! Quem então pode superar-Te nos três mundos, ó Tu, de inigualável Poder?

Eu me inclino ante Ti e me prostro buscando Tua Graça. Tu és o Senhor, digno de toda adoração. Ó Tu, Divino!, sê paciente comigo, assim como o pai é com o filho, o amigo com o amigo, e o amante com sua amada.

Minha ignorância foi dissipada e minha memória foi recobrada através de Tua Graça. Ó Tu, Imaculado!, permaneço firme diante de Ti, livre de toda dúvida. executarei todas as Tuas ordens.

Ler 98008 vezes