Suddha Dhyana- Contemplação e unificação com o Parabrahman

Segunda, 15 Janeiro 2018 12:20 | Escrito por 

Imanência do Espírito Supremo em todos os seres, em todas as coisas e em todas as partes.

Para alcançar o entendimento de que a Substância Pura de Deus está impregnada e presente em todas as coisas e em todos os seres, torna-se preciso eliminar da mente a concepção referente à "separatividade". Isto pode ser facilitado com o exercício mental na transcendência do Parabrahman através da execução da prática do Bhávana ou contemplação visualizada da Unidade Cósmica.

  • Como podemos ter consciência da presença imutável de Deus em todos os seres e em todas as coisas?
  • Como a Substância Pura da Divindade manifesta-se nas pedras, na água, nas flores, no fogo e em nós mesmos?
  • Como podemos elevar-nos ao nível de consciência que nos permita intuir que o Supremo Espírito de Deus compenetra a multiplicidade?
  • Como deverá ser o nosso pensar para que possamos compreender que a própria vida de Deus está presente nos animais, nas árvores, tanto no amigo como no inimigo, tanto no Santo quanto no pervertido e no pecador?

Como é difícil para muita gente acreditar nisto!

Quando a pessoa avança no conhecimento espiritual isto, sem dúvida, que antes parecia tão difícil de aceitar e até mesmo absurdo, vai sendo entendido pouco a pouco, até que chegamos a vislumbrar, com o intelecto, a Transcendência de Deus em TUDO.

"Deus está em todas as coisas, Deus está em toda parte". Esta frase confirma-se nas Epístolas de São Paulo, onde está escrito: "Em Deus nos movemos, em Deus existimos, em Deus mantemos nosso Ser". "Em Deus nascemos e morremos".

Como podemos entender estas declarações com claridade? Esta verdade é difícil de ser compreendida porque está além de nossa razão? Como é possível imaginar Deus morando na pedra inanimada ou nas coisas apodrecidas?

Grandes Santos de várias religiões mundiais e grandes Yoguis da Índia, alcançaram um elevado grau de "visão divina" que eles, por experiência própria, podem ter a exata consciência de que a ESSÊNCIA DIVINA está em toda parte.

Esforçar-me-ei para dar-lhes um claro exemlpo a respeito disto. Se acreditarmos com FÉ, que a alma ou coscinêcia de um Santo tem de fato uma relação com seu retrato consagrado, com uma relíquia ou com uma imagem dele e, de forma reverente prostarmo-nos aos seus pés, miramos sua face, suas mãos, seu traje, etc, com a mesma intensidade que teríamos se estivéssemos diante do próprio ser Santo pessoalmente, e pedíssemos ajuda em nossas aflições a esta figura representativa deste Ser Santo, ainda que sabedores que aquela imagem é apenas gesso, ferro e papelão, estaria ali por acaso a ALMA CONSCIENTE DO SER SANTO invocado, ou esta representação seria simplesmente matéria inerte, apenas com a aparência humana, com olhos que não vêem, cabeça sem cérenro e corpo sem vida?

Sem dúvida o impacto produzido em nosso psiquismo por esta figura de simples matéria inerte, conduzirá nossa mente e os sentidos de nossa alma, a imaginar e aceitar estarmos diante da Pessoa Venerada como se aquele próprio Santo estivesse presente diante de nós.

Nesses momentos aquela representação deixa de ser uma figura inerte, e em nosso interior, converte-se, por nossa imaginação e por obra de nossa FÉ, no próprio Ser Santo invocado!

Ninguém que compreende a estrutura oculta do funcionamento desta atitude mental, pensaria que esta pessoa está louca por fazer semelhante súplica, pois saberia que estava sendo utilizada a a influência psíquica que imagens provocam na mente para estabelecer uma comunicação sutil com o santo invocado. É mais fácil para nós obtermos comunicação espiritual com um Ser Santo representado por uma imagem, retrato ou símbolo, mediante nosso poder mental ativado pela imaginação e pela Fé.

Se nossa Fé crescer e nossos conhecimentos aumentarem, veremos que Deus e os GRANDES SERES unificados n'Ele, não estão restritos apenas às imagens, Saberemos experiencialmente que todos os seres estão em comunhão com o SUPREMOS ESPÍRITO e CONSCIÊNCIA UNIVERSAL, difundidos em todas as partes do Universo e que suas CONSCIÊNCIAS, podem ser contatadas por nós, quando nossos sentidos estiverem devidamente preparados.

No mundo inteiro a um só tempo, inumeráveis transmissões das emissoras de rádio e de televisão difundem-se nos éteres sutis; para que cheguemos a percebê-las temos que conectarmos nossos artefatos (aparelhos de rádio e de TV) à corrente elétrica e acender-lhe a luz (a iniciação que acende o Yoti ou chama interna), e o conectarmos à onda ou frequência desejada mediante a busca do ponto exato no "dial" (a meditação no chakra ou centro correspondente). Quanto mais potente e mais perfeito for o aparelho receptor, melhores serão as comunicações recebidas. É por isto que quanto mais purificado for o corpo e a mente de uma pessoa, superiores serão suas captações dos seres e das vibrações gloriosas dos mundos espirituais.

E mais: quando tal conhecimento é realizado (concretizado) por algém, todas as coisas e todos os seres passam a ser motivo de veneração e de amor. A Divindade ou ESPÍRITO SUPREMO, reside como uma indivisível e penetrante alma através de TODAS as suas manifestações materiais, sem que tais manifestações formem, separadamente, parte de um Deus ou deuses pessoais.

A CONSCIÊNCIA DO ABSOLUTO ESTÁ EM TODAS AS PARTES, transcendendo as qualidades materiais delas mesmas. Se nós arrancamos os galhos de uma árvore a substância de Deus continuará existindo sempre e sempre, sem variação alguma. A Vida de Deus é imutável e interpenetra o Universo em mutação, sem que nada possa interromper, diminuir ou aumentar a Unidade perfeita de Sua Glória.

Darei outro exemplo: cada um de nós, neste plano físico, forma indivíduos separados, com personalidades distintas. Esta individualidade refere-se tanto ao material quanto ao espiritual. Nós não somos a matéria que é usada para nossos corpos, assim como ninguém é o traje que usa. Nossas roupas, quando ficam velhas, torna-se rôtas e rasgam-se ficando inadequadas para nossas atividades; então nós trocamos por novas roupas.

O Espírito Individual, pessoal e verdadeiro, é onde se estabelece a Raiz da Consciência do ser Real. Quando dizemos: "Eu" estamos nos referindo ao nosso próprio Espírito e não aos veículos corpóreos (Koshas) que estamos usando.

Denominamos EU SUPERIOR o "Eu-Espírito-Consciência" que se aloja dentro de nossa forma humana de "eu inferior". Por isto devemos distinguir claramente o Espírito e a Matéria.

Se for amputada uma perna de uma pessoa ela deixará de ser o indivíduio que era antes? Por certo que não! Ele continuará a ser em essência, o mesmo indivíduo; restará ao Espírito um "traje" material menos apto para atuar na vida terrestre, porém continuará o mesmo indivíduo, enquanto CONSCIÊNCIA DE SI MESMO, com perna ou sem perna.

Agora, suponhamos que lhe fossem amputadas ambas as pernas, que também lhe fossem retirados os braços, continuaria ainda esta pessoa a ser sua "consciência de si mesmo"? Claro que sim, ainda que só lhe reste o tronco onde o Espírito Consciência estaria ainda palpitando! Se a esta pessoa fossem retirados um rim, o apêndice, parte do estômago, os olhos e já então nada mais restasse para ser extirpado de seu corpo físico, ainda assim ele continuaria a ser a mesma "vida-Consciência" individualizada e integrada a sua "personalidade". O traje físifco seria danificado porém o Espírito que compenetra todo o organismo não teria sofrido nem o mais leve dano: o que se mutilou foi unicamente a vestimenta representativa de sua figura exterior.

Nosso espírito permanece sempre em completa perfeição ainda que sejam destruídas todas as partes vitais de nosso corpo físico.

O Esírito de Deus, do qual nosso espírito é a imagem e semelhança, compenetra e transcende todas as coisas que existem no Infinito, sem que jamais seja afetado por nada.

Compreendamos pois este fato: ainda que se rompa o galho de uma árvore, não se retira nem uma parte de Deus (ali presente); a compreensão intelectual deste fato é aceita por sabermos que Deus ou o Espírito Cósmico vive inviolável através do Corpo Infinito do Universo, formado desde partículas pequenas até imensos Sistemas de Vias Lácteas e de Mundos.

O Espírito Supremo permanece difundido, intacto e imutável em todas as partes. Ao chegar a compreender isto com absoltua claridade teremos a certeza de que Deus está no céu, na terra e em todos os lugares, demonstrando desta forma que a consciência do homem supera-se a si mesma. Quando mativermos esta percepção minuto a minuto em nossa vida, em todas as ocasiões e sempre, promoveremos em nosso interior um formidável crescimento espiritual. Assim fazendo, em nossos momentos de adoração, não somente tomaremos contato sensitivo e conhecimento progressivo das Qualidades Divinas (Dévicas) mas, por estarmos em adoração a Deus no dia a dia de nossa existência, aonde quer que formos estaremos irradiando Amor Puro, acompanhado de um sentimento interno de que o Espírito de Deus está de fato mantido eternamente presente em todas as partes para a manutenção da vida dos seres. Ao chegarmos a este ponto começamos a desapegar das asas do misticismo para alcançarmos estados espirituais que possam nos direcionar na senda das iniciações, pois elas (as iniciações) abrem os selos (chakras), comprovando-nos a verdade de que o ESPÍRITO SANTO é pleno de glória, sabedoria e poder e que Ele está sutilmente difuso através de toda a manifestação do universo.

O fato de termos tido acesso aos estudos, às Práticas, Cerimônias, Rituais ou simplesmente às reuniões fraternais que se efetuam nos Ashrams do Suddha Dharma Mandalam é para nós um sinal de karma pessoal divino, pois acessamos assim o conhecimento intelectual da imanência do imutável do Espírito de Deus através de todos os seres e mundo. Tendo compreensão desta sabedoria, o discípulo pode praticar com êxito a MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL, que nos conduz progressivamente ao contato com as SHAKTIS ou Forças Gloriosas que surgem do Infinito. Estas Shaktis Cósmicas despertam no indivíduo os poderes latentes da alma, mediante os quais ele adquire, entre outros poderes, o da resistência física para evitar enfermidades. A MEDITAÇÃO TRANSCENDENTE praticada com alegria e Amor Divino abrem os Chakrams ou "flores da alma", que são possuidoras de energias diversificadas que vivificam os sentidos sutis que nos facultam comprovar a existência dos seres que vivem em planos superiores da Matéria. Aquele que medita na DIVINDADE  CÓSMICA igualmente forma um campo de proteção, uma couraça, composta de matéria puríssima pela qual as forças malignas não podem penetrar.

Antes de finalizar estes escritos, quero deixar bem claro que BHÁVANA ou compreensão da Unidade é o conhecimento essencial que nos conduz ao conceito do "Deus Cósmico" e que todo aspirante a discípulo que deseje seguir corretamente o caminho do Sistema de Yoga que os Mestres do Mandalam ensinam, devem ter isto bem assimilado. É também necessário que tenham a instrução correspondente e que sigam os vários passos que serão explicados a seguir.

DHYANA EXTERNA - Consiste na contemplação visualizada de Hierarcas e Devas dos Mundos Espirituais, mantendo durante toda esta meditação amor santo e atitude mental receptiva.

A ignorância a respeito da Sabedoria Divina é manipulada pelas "forças negras" que trabalham nos mundos sutis inferiores, influenciando as pessoas terrenas de escassa evolução, ao egoísmo, ao ódio, á guerra, ao desespero, ao crime e à morte. Para nos livrar de tanto mal, devemos implorar diariamente aos Hierarcas da Luz, a sabedoria e a força necessárias para sermos capazes de descobrir a Eterna Verdade, mediante suas inspirações. Devemos pedir aos Mestres de Sabedoria que clarifiquem nossa mente e nos conduzam da obscuridade à Luz; que despertem cada dia mais nossa inteligência e nos dêem força e valor para continuar lutando em meio à humanidade pervertida que se debate na obscuridade do erro.

Os Mestres da Hierarquia do Suddha Dharma Mandalam, podem ajudar-nos com seu Sistema Yóguico para que tenhamos a coragem e uma firme vontade de continuar sem interrupção na Senda da perfeição que nos leva a "Prapty" ou liberação das amargas ligaduras que nos aprisionam nesta existência terrena.

Por outro lado, hostes de Devas concorrem e ajudam áqueles que, com intenção pura esforçam-se com tenacidade para conseguirem realizações intelectuais e morais superiores com o propósito de nos capacitar para auxiliar com amor e felicidade aos que sofrem, seja fisicamente ou emocionalmente, sempre que demonstrem-se desejosos de refugiarem-se no amparo da Sabedoria Divina proclamada por nossos Mestres.

DHYANA INTERNA - Esta meditação é praticada com alegria e Amor, mediante a visualização do ATMA ou Luz Divina que está oculta no Santuário do Coração

MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL - As duas meditações ou Dhyanas apresentadas anteriormente deverão ser praticadas antes de executar a Dhyana ou Meditação Transcendental, sobre a qual tratamos brevemente neste texto, relacionada com a imanência de Deus em todas as coisas e seres, por Essência, Presença e Potência, chegando ao INFINITO com seu ONIPOTENTE PODER, ONISCIÊNCIA E GLÓRIA.


Benjamin Guzman Valenzuela
Sri Vayera Yogui Dasa - 1979

Ler 43 vezes